Calculo de kV e mAs

Cálculo do kV

O cálculo do kV é obtido tomando-se a espessura do órgão que se deseja radiografar multiplicada por 2 e somada com a constante “C” do equipamento. Nas condições ideais “C” será sempre igual a 20 (vinte).

Espessura X 2 + C = kV

Cálculo do mAs

O cálculo do mAs é obtido a partir do valor kV multiplicado por uma constante denominada “CMR” – Constante Miliamperimétrica Regional.

kV X CMR = mAs

A CMR é atribuída aos diferentes órgãos do corpo humano conforme tabela abaixo:
Tecido CMR
Ossos 1.0
Partes Moles 0.8
Pulmão 0.05

Considerações sobre a constante do equipamento “C” .

A constante “C” de um equipamento radiológico, nas condições previstas na tabela 1.1, será sempre igual à 20 (vinte). Variações da constante “C” são decorrentes de diversos fatores mas, principalmente, da descalibração dos equipamentos radiológicos. A descalibração, condição em que os valores mostrados nos painéis de controle não correspondem à realidade, infelizmente
é uma falha muito comum. A descalibração pode estar relacionada com o kV ,
o mA, o tempo de exposição, etc….
Evita-se a descalibração submetendo-se os equipamentos a controles periódicos de qualidade.
Se na prática ao utilizar-se constante C=20 os resultados não se mostrarem satisfatórios, será necessário calcular a nova constante do equipamento.
Como encontrar a constante “C “ de um equipamento descalibrado, ou que, trabalha com acessórios diferentes do previsto na fórmula da dosagem ?
Neste caso, a determinação do valor da constante “C ” do equipamento, será feito de forma empírica. Para isto recomenda-se: Realizar um exame radiológico simples de um paciente adulto de porte médio.

Exame sugerido: Coluna Lombar Posição: “frente “.
Espessura (ântero-posterior): Entre 23 cm e 27 cm.

Usar um valor de “kV ” igual ao valor do “mAs ” até obtenção de uma imagem de boa qualidade com densidade radiográfica média e contraste adequado.

Exemplo: Paciente de 25 cm de espessura da região lombar.
Exame: Coluna lombar frente.
kV u t i l i z a d o = 75
mAs u t i l i z a d o = 75

Resultado: Satisfatório

Cálculo da Constante deste equipamento:
ESP X 2 + C = 75
25 X 2 + 25 = 75
Ou seja, a constante deste equipamento é de 25.

Imagem: http://www.garca.sp.gov.br/index.php?option=com_k2&view=item&id=1096:prefeitura-de-garca-adquire-equipamento-de-raio-x-para-upa acessado em 04/11/2016 as 12:00

21 comentários em “Calculo de kV e mAs

  • 02/05/2010 em 14:28
    Permalink

    Valeu me ajudou muito, e nunca conseguia acertar a tecnica.

  • 04/05/2010 em 23:56
    Permalink

    Estou procurando um curso de contrastado alguem conhece.

  • 05/05/2010 em 13:31
    Permalink

    estou procurando um de TC mas de 20h se alguem saber, fico grato

  • 08/05/2010 em 12:40
    Permalink

    Tambem tenho interesse em trabalhar com ortodontia, mas nao conheço nenhum curso.
    Eu conheço um curso de contrastado, mas nao recomendo achei muito fraco, eu fiz nao me ajudou em nada no meu estagio, agora estou procurando um de tomografia quero aprender os protocolos.

  • 19/05/2010 em 19:46
    Permalink

    Eu estou pensando em atuar na tomografia, mas acho que o mercado da preferencia para os homens isso é verdade.

  • 25/05/2010 em 15:55
    Permalink

    grato pelo calculo KV e MAS

  • 09/07/2010 em 10:40
    Permalink

    Alguem conhese um curso bom de tecnologo em radiologia vou me forma como tecnico este ano na minha cidade espirito santo, e quando acabar irei para SP alguem conhese um bom curso ai.

  • 21/08/2010 em 17:12
    Permalink

    obg adorei esse calculo está bem explicado

  • 26/08/2010 em 20:07
    Permalink

    poxa acha esse site vai me ajudar bastante ,pois estou fazendo o curso tecnico em radiologia no santa marcelina e um site assim ajuda mto

  • 08/10/2010 em 23:18
    Permalink

    Eu faço na São Camilo e vale muuuuito a pena


    Marcos:

    Estou procurando um curso de contrastado alguem conhece.

  • 02/03/2011 em 23:18
    Permalink

    Não seria melhor usar um fantoma para fazer o teste da constante ao invés de uma pessoa, mesmo que o teste seja simples?

  • 28/04/2011 em 20:47
    Permalink

    eu estou fazendo tec. em radiologia aqui em minas, e vou apresentar um trabalho amanha e a minha parte e sobre o mAs, estava proucurando algo mais detalhado, e achei muito interessante achar isso na net futuramente com a rotina do serviço muitos esquecemos essas tecnicas mais simlpes!!!

  • 24/08/2011 em 20:35
    Permalink

    Parece que muita gente experimentou estes cálculos e conseguiram bons resultados. Eu só queria saber se eu alterar meu écran, tipo e marca de filme, pois existe a constante de filme para cada marca; as emulões são diferentes de cada fabricante, tipo de processadora, tipo de grade usada, diluição dos químicos, pois temos que considerar ph e densidade dos mesmos e retificação dos aparelhos de raios x, a constante vai ser sempre 20 ou 30 como já li em outro blogs ou sites?
    Acompanhei um trabalho de qualidade de imagem onde trabalho por uma empresa que nos fornace material de revelação e eles verificaram até o sistema de rolagem dos roletes e regeneração dos químicos. Os aparelhos todos são de alta frequência o que teóricamente não alteraria a técnica radiológica imposta sobre o paciente; mas verificou-se erro no preparo dos químicos: diluição excessiva ou não. Não havia um padrão. Chegou-se a conclusão de que a constante k é uma variável. Verificou-se que durante a manhã a processadora dava um padrão de imagem e a tarde outro.
    Então a constante não é constante, mas variável.
    Se eu modificar os écrans de terras raras para os de tungstato de cálcio o que se deve mudar? kv ou mAs. De acordo com as ormas de proteção radiológicas seria alterar o mAs.
    Mas minha questão da variável vai ficar no ar, pois verifiquei isto pessoalmente e em curso de controle de qualidade de imagem.

  • 05/10/2011 em 10:28
    Permalink

    ola gostaria que me mandasse por email tudo sobre a area de tomografia computadorizada!

    pois faço o curso de tecnico em radiologia e pretendo especializar na area de tomografia computadorizada!
    obrigada!

  • 25/09/2012 em 09:42
    Permalink

    Os cálculos estão corretos, digo as formulas… mais nem sempre será idêntico ao resultado calculado, os resultados iram variar muito de aparelho, processadora e químico…!
    sem contar na velocidade de emulsão de cada ecran..!

    Mais as dicas são ótimas para um preparo teórico pré-concurso… esse tipo de assunto atrapalha muita gente ainda.!

    Abraço galera.!

    Téc: Leonardo Ramos
    CRTR 8 Região – Salvador/Ba

  • 25/09/2012 em 13:54
    Permalink

    Gostaria de saber a real definição do que é KV, KVp, mA e mAs?

  • 04/10/2012 em 17:56
    Permalink

    gostaria de saber em media mas e ka para cada exame, omde posso encontrar uma tabela

  • 07/12/2012 em 18:57
    Permalink

    Muito bom , estou usando , e na medida certa !

  • 22/01/2013 em 11:51
    Permalink


    Mariana:

    Gostaria de saber a real definição do que é KV, KVp, mA e mAs?

  • 26/03/2013 em 20:47
    Permalink

    boa noite ainda tenho duvida sobre o mAs
    sei q ele e o fator primario do contraste ele é a multiplicaçao da milianperage com o tempo sei quase tudo sobre o mesmo.vc quase esclareceu minhas duvidas,so nao consiqui entender como posso fazer uma multiplicaçao do kv com 1.0 para osso , se eu multiplicar os dois, o mAs sera iqual o kv .
    Onde eu estageio a conste e de 30
    os tecnicos para realizar uma incidencia de joelho em AP cuja a espesura e de 10 cm eles colocam 50 de KV o q esta certo pela formula e 25 MAS e a radiografia sai linda.
    a questao é, se eu colocar 50 KV e 50 MAS nessa incidencia de joelho ficaria tao bom quanto as que os tecnicos realizao? aguardo atenciosamente a sua resposta

  • 29/04/2013 em 11:47
    Permalink

    Por que na fórmula do KV ele é sempre multiplicado por 2?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *