Médicos Britânicos testam exames de ressonância magnética em 3D

Especialistas acreditam que o exame poderá realizar diagnósticos de lesões cerebrais, deformidades e outras doenças com mais precisão realizada no hospital Hammersmith, em Londres.

No mundo, os exames de ressonância magnética são rotineiros e o hospital londrino foi o primeiro a utilizar o mais novo ultrassom em 3D.

No tradicional exame de ressonância magnética os pacientes deverão permanecer imóveis durante a realização do mesmo, o que dificultam em caso de fetos no útero.

Especialistas confirmam que a equipe do hospital, realizou múltiplas imagens do cérebro do feto, contudo sobrepondo umas as outras, possibilitando a imagem em 3D.

Com isso, especialistas afirmam que com a imagem de ressonância magnética em 3D, obstetras irão decidir se o bebê vai ter algum problema cerebral e se o crescimento do cérebro fora do útero não será melhor provocando o parto precoce.

Durante a pesquisa o hospital disponibilizou as gestantes a realização para a reunião de grande número de imagens cerebrais, tendo em vista que algumas imagens seriam positivas e outras negativas em casos de deformidades.

Especialista  revela que o hospital concentrou em problemas específicos, após 2 anos de estudos sobre cérebro, e com isso conseguiram a restrição do crescimento do feto dentro do útero diminuindo o índice de mortalidade.

Mas os bebês que sobrevivem fora do útero geralmente vão ter algum problema de aprendizado de acordo com os colegas da mesma idade, o hospital vai monitorar bebês que obtiveram esta restrição por no mínimo 2 anos e que possivelmente na idade escolar.

Nas imagens de ressonância magnéticas 3D já é possível notar as diferenças cerebrais, por exemplo, se na imagem apresentar um cerebelo pequeno a criança poderá ser um autista. Ventrículos grandes estão associados às dificuldades de aprendizado.

O hospital londrino garante que durante as pesquisas as imagens de bebê que não apresentou nenhum problema cerebral, foram fornecidas cópias aos pais.

Tatiane Lessa

Responsável pela coluna de Medicina Nuclear Currículo: -Tecnólogo em Radiologia pela Faculdade Santa Marcelina-FASM -Participações em eventos: - Congresso da Semana da Radiologia da Faculdade Santa Marcelina de 2005 á 2009. - Área de atuação: Medicina Nuclear

3 comentários em “Médicos Britânicos testam exames de ressonância magnética em 3D

  • 04/05/2010 em 04:08
    Permalink

    Caro leitor caso tenha alguma duvida ou sugestão comente

  • 04/05/2010 em 15:51
    Permalink

    O governo do Brasil deveria investir em novos equipamentos de ultima geração como este equipamento da matéria, mas não só em hospitais particulares que são os primeiros a adquirem, mas a rede publica também, mas como eles e seus familiares não precisam da rede publica e nunca passaram por essa realidade, eles ligam e não havendo interesses políticos nisto, eles preferem fazer coisas grandes e às vezes inúteis somente para fazer campanha para uma futura eleição.

  • 08/05/2010 em 12:50
    Permalink

    Materia legal, sempre tive o interesse em trabalhar na ressonância, sou tecnica em rx, mas nao tinha tempo para fazer um curso, mas agora estou pensando em fazer aonde eu encontro um curso de no mínimo 100h e que ensine os protocolos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *