Teste consegue achar e capturar células do câncer

Exame em teste vai ajudar médicos a saber se tratamento está funcionando

A multinacional Johnson & Johnson e médicos do Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, fizeram uma parceria para testar e lançar no mercado um novo exame que consegue detectar uma única célula de câncer entre bilhões de outras saudáveis, o que pode ajudar no diagnóstico precoce e no tratamento da doença.

Médicos dizem que células cancerígenas “perdidas” no meio do sangue são um indicativo de que um tumor está próximo de se disseminar pelo corpo ou já está se alastrando. De acordo com eles, um exame que consiga capturar essas células tem o potencial de tornar o tratamento direcionado para vários tipos de câncer, especialmente de mama, próstata, colo do útero e pulmão.

Quatro grandes centros de pesquisa vão começar a testar o método neste ano. Inicialmente, os médicos querem usar o exame para prever que tipo de tratamento é o mais indicado para o tumor de cada pessoa e descobrir se a terapia está funcionando.

Daniel Haber, chefe do centro de tratamento de câncer do hospital e um dos inventores do teste, diz que o sistema parece “uma biópsia líquida”, que dispensa agulhas e é mais eficiente que exames feitos por imagem.

O exame usa um microchip que parece uma lâmina de laboratório coberta por 78 mil pequenos pontos, como as cerdas de uma escova de cabelo.

Esses pontos têm anticorpos que atraem as células do tumor e se ligam a elas. Quando o sangue passa pelo chip, as células são impulsionadas pelo sistema, em algo parecido como as bolas de uma máquina de pinball. Enquanto as células saudáveis são jogadas para fora, as células cancerígenas se prendem e são iluminadas pela lâmina, o que permite que os médicos as capturem para estudo.

Haber diz que a ideia é descobrir, durante o tratamento, se a droga usada está funcionando contra o tumor ou se é melhor mudar para outra, mas de um modo mais eficiente.

Fonte:

http://noticias.r7.com/saude/noticias/teste-consegue-achar-e-capturar-celulas-do-cancer-20110103.html Acessado em 05/03/2015 as 14:50

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *