Técnica avançada de radioterapia preserva células saudáveis ao redor do tumor e diminui tempo de tratamento

O Hospital Israelita Albert Einstein é a primeira instituição da América Latina a contar com uma nova técnica de radioterapia – chamada RapidArc® – que é capaz de emitir radiação com maior direcionamento e precisão, poupando as células saudáveis ao redor do tumor.

O RapidArc® é uma técnica avançada de liberação de radiação que, por meio de um aprimoramento no software do equipamento de radioterapia, permite que essa radiação seja mais concentrada na área do corpo que necessita ser tratada, poupando, ao mesmo tempo, os tecidos normais da região.

Além disso, essa radiação é liberada de forma mais rápida do que as outras técnicas já vigentes, permitindo mais conforto para o paciente em tratamento. Enquanto cada sessão de radioterapia tradicional leva cerca de 20 minutos, com o RapidArc® o paciente não precisa mais do que 75 segundos de exposição à radiação.

“O RapidArc® é a evolução de uma técnica de modulação de intensidade do feixe de radiação que já utilizamos desde 2002”, conta o médico radioterapeuta do HIAE, Dr. Robson Ferrigno, o primeiro a utilizar o novo procedimento no hospital.

“Para a viabilização dessa técnica tão aprimorada, foram desenvolvidos acessórios e sistemas que permitem com que a dose seja emitida precisamente ao alvo do tratamento. Entre elas, a mais moderna é o RapidArc®. Como o nome já diz, trata o tumor de maneira não apenas efetiva, mas rápida”, explica o médico.

Células normais e efeitos colaterais

As células normais, comparadas às cancerígenas, possuem uma maior capacidade de se regenerar do dano causado pela radiação. Portanto, na maioria das vezes, a doença é destruída e as células normais se recuperam após o término do tratamento.

Dr. Robison Ferrigno orienta equipe no manejo das imagens

Tanto os efeitos benéficos como os indesejados dependem da dose utilizada e da área do corpo que está sendo tratada. Com o RapidArc®, é possível, em muitas ocasiões, que o paciente não sofra qualquer efeito colateral durante o tratamento ou que apresente apenas uma reação passageira na pele por onde a radiação atravessou.

Como os efeitos colaterais dependem de cada caso, é muito importante que o paciente seja orientado pelo médico quanto a possíveis problemas e como tratá-los ou amenizá-los. A Radioterapia, por exemplo, não causa queda de cabelo, a não ser que a região da cabeça seja tratada – mesmo assim, depende da técnica e da dose utilizada.

Com os avanços tecnológicos obtidos nos últimos anos, a radioterapia se tornou muito menos tóxica e mais efetiva.

Entenda o procedimento do RapidArc®

Com base nas imagens de uma tomografia, o médico radioterapeuta desenha os locais do corpo que necessitam ser tratados, bem como os órgãos e tecidos normais que devem ser protegidos da radiação. A partir daí, a equipe de físicos e dosimetristas elabora a forma mais adequada para que a radiação seja dirigida de forma precisa e concentrada.

Com base nesse planejamento, um software programa o funcionamento do chamado acelerador linear, que é o equipamento de radioterapia.

Além de emitir os raios, o acelerador conta com lâminas programadas para filtrar a radiação e preservar as células saudáveis ao redor do tumor, em um processo ininterrupto e dinâmico. Tudo isso, enquanto o equipamento gira ao redor do paciente, administrando a radiação de praticamente todos os ângulos. Uma única volta é capaz de emitir a dose necessária para o tratamento.

Acompanhe o vídeo abaixo:


Os retângulos formados pelas linhas azuis representam as lâminas protetoras, que se movimentam na frente dos raios para proteger as células não cancerígenas.

Vemos que a dose maior de radiação (alaranjada) está concentrada no tumor. A área em volta dele recebe menos radiação (verde), somente para a prevenção de células tumorais não visíveis. As áreas em azul – entre elas, a medula do paciente – se mantêm totalmente preservadas. As duas áreas em vermelho são as glândulas salivais, que também são poupadas para que o paciente não sofra com “boca seca” após as sessões.

Fonte: http://www.einstein.br/Hospital/Noticias/tecnica-avancada-de-radioterapia-preserva-celulas-saudaveis-ao-redor-do-tumor-e-diminui-tempo-de-tratamento.aspx Acessado em 30/03/2011 as 11:45.

4 comentários em “Técnica avançada de radioterapia preserva células saudáveis ao redor do tumor e diminui tempo de tratamento

  • 31/03/2011 em 15:01
    Permalink

    QUERO SABER SOBRE NOVIDADE RELACIONADAS ESTADIAMENTO E NOVOS METODOS DE DIAGNOSTICOS Á ONCOLOGIA

  • 21/09/2012 em 15:29
    Permalink

    quero saber se cancer de prostata tem cura.
    meu pai tem que fazer radioterapia,por favor mim ajude

  • 21/09/2012 em 15:30
    Permalink

    quero saber se cancer de prostata tem cura.

  • 21/09/2012 em 15:32
    Permalink

    quero saber se cancer de prostata tem cura.obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *