Diminuição do tempo de realização do exame e da reconvocação de clientes são algumas das vantagens do sistema digital.

A mamografia é um procedimento importante na detecção precoce do câncer de mama na fase em que é mais fácil de ser tratado e curado. É possível obter muitas informações, tanto na versão convencional, que utiliza filmes radiográficos, como na digital, na qual a imagem é gerada com auxílio de um computador. A mamografia digital oferece vantagens como maior velocidade na realização do exame e melhor qualidade de imagem, particularmente quando as mamas são “densas”, ou seja, têm predomínio do tecido glandular em sua composição.

“Esse é um recurso que contribui com a precisão do diagnóstico, principalmente para a mulher que possui mamas densas nas quais é mais difícil a visualização de pequenos nódulos que, estando presentes, podem indicar a necessidade de investigação mais detalhada”, explica a médica do setor de Imagenonologia Mamária do Fleury, Giselle Mello.

Com as imagens armazenadas em arquivos eletrônicos, o médico pode investigar ainda mais. Outro benefício é a redução da necessidade de reconvocação para obter imagens complementares, situação que ocorre em casos em que há dúvida diagnóstica. “Com a alternativa digital essa possibilidade fica reduzida”, comenta Giselle.

O tipo de equipamento utilizado é, no entanto, apenas mais uma variável que contribui para o resultado final da mamografia. São igualmente importantes os cuidados na manutenção e calibração dos equipamentos – no caso do Fleury, os profissionais envolvidos são engenheiros, físicos, tecnólogos e médicos –, no controle da qualidade do filme utilizado e, finalmente, no grau de capacitação dos profissionais envolvidos com aquisição e interpretação dos exames.

Conforme frisa Giselle, “muito do resultado depende da capacidade técnica dos profissionais”. Na linha de frente, em cada exame no Fleury, por exemplo, um médico radiologista acompanha o procedimento, assim como o avalia para a elaboração do laudo. A partir daí, um segundo especialista faz uma leitura independente. Em caso de interpretações diferentes entre esses radiologistas, um terceiro é chamado para dar opinião.

Esse processo, chamado de segunda leitura, é importante para aumentar a eficácia do diagnóstico, pois aumenta a capacidade de detecção de anormalidades em até 7%. “Nosso compromisso, em todas as etapas, é para que a cliente apresente sempre ao médico um diagnóstico mais preciso possível”, salienta Giselle.

A importância do exame
A mamografia é o exame mais eficaz na detecção de tumores da mama na fase inicial de crescimento. Os tumores pequenos, que não são palpáveis na época do diagnóstico, têm chance de cura acima de 95% e são passíveis de tratamentos menos agressivos. A realização de mamografias anuais, a partir dos 40 anos, já demonstrou, em vários estudos, ser capaz de reduzir a taxa de mortalidade por câncer de mama entre 25% e 40%. Nesse exame, é investigada a presença de lesões muito pequenas, de poucos milímetros, na maior parte das vezes detectada apenas com técnicas especiais de exame, uso de lupa e análise acurada.

Fonte: http://www.fleury.com.br/Clientes/SaudeDia/RevistaSaudeEmDia/pages/8MamografiaDigital.aspx

Imagem: http://www.trajanoalmeida.com.br/exames/mamografia-digital# acessado em 29/06/2011