Acidente Nuclear de Chernobyl

Autores: Daniel Medrado / Tábata Marques / Gislaine Lima /Renata Paulino

INTRODUÇÃO

O acidente nuclear em Chernobyl (1986) é, de longe, o acidente nuclear mais grave da história da energia nuclear. Ele foi classificado como nível da escala 7 (acidente nuclear grave) da escala INES, o maior valor. Embora seja o mesmo nível de acidente nuclear de Fukushima foi classificada, as consequências do acidente de Chernobyl ainda eram muito piores.

A usina nuclear de Chernobyl está localizada perto da cidade de Prypyat 18km da cidade de Chernobyl.

Na época do acidente de Chernobyl usina nuclear fornecia 4 reatores em operação e mais duas foram em construção.

Em 9 de setembro de 1982, uma fusão parcial da base ocorreu na planta reator número 1. Embora, devido ao sigilo da União Soviética, a comunidade internacional não foi informada até 1985 foi reparado e continuou trabalhando.

O acidente ocorreu em 26 de abril de 1986, quando explodiu o reator número 4. Posteriormente, apesar da gravidade do acidente e devido a energia precisa 1, 2 e 3 acompanhados.

O reator nuclear de Chernobyl 2 foi fechada em 1991, o reator 1 em 1996 e três reatores parou de funcionar em 2000.

Relatar a história do mais grave acidente nuclear, na Ucrânia cidade de Prypiat na usina de Chernobyl (1986). As causas e consequências relatadas por trabalhadores, gestores moradores, e pessoas que fizeram parte dessa história. As medidas que foram tomadas para evitar a propagação da radiação, o efeito da radiação no ato da explosão e os danos que perduram nos tempos atuais.

DESENVOLVIMENTO

 Há uma hora e vinte da madrugada do dia vinte e seis de abril de 1986 o mundo estava a segundos do seu pior acidente nuclear. O reator n°4 da estação nuclear de Chernobyl na união soviética explodiu. Na parte da manhã de 26 de abril a devastação foi revelada, porém algo muito pior estava por vim.

O desastre em Chernobyl trouxe morte e doenças, levantou também a questão do “poder nuclear”. Dentro da união soviética o trauma de Chernobyl foi tamanho que muitos o veem como primeiro passo para queda do regime comunista.

im112

Fonte: http://tvr2.tvr.ro/remember-cernobil-dupa-30-de-ani_16357.html

COMO OCORREU O ACIDENTE?

O acidente ocorreu por ocasião da parada da central de serviços de manutenção, quando da realização de teste sobre a aproveitamento de energia mecânica no uso de um dos tubos geradores. No momento do acidente a reação nuclear do reator da unidade avariada foi extinguida. O incêndio que teve lugar também foi extinguindo e em seguida foram tomadas providencias para remediar, mitigar e limitar as consequências do acidente, tendo sido evacuada a população da zona compreendida por um raio de 30km em torno da central avariada.

Ensaios similares haviam sido efetuados na central Chernobyl, mas aconteceu que a tensão no barramento do alternador caiu bem antes que a energia mecânica do reator tivesse se esgotado durante do funcionamento da inércia.

Havia um programa para realizar esses testes, esses ensaios tinham como objetivo verificar experimentalmente a possibilidade de utilizar a energia mecânica de um reator de tubo alternador, não alimentado em vapor, para produzir eletricidade necessária a unidade por algum tempo, em caso de “blackout”, o por perda total de suprimento elétrico no sitio, se as regras estabelecidas para a realização de tais ensaios tivessem sido respeitadas e se medidas suplementares de segurança tivessem sido aplicadas, não teria havido inconveniência em se realizar tais ensaios em uma central nuclear.

As medidas de segurança tinham sido estabelecidas de forma completamente formal, devido ao fato de que para esses ensaios de segurança não tinham sido objeto de uma tensão suficiente, os operadores não estavam corretamente preparados, bem como não estavam conscientes de perigos eventuais. Além disso, o programa previsto também não foram obedecidos, criando assim condições propicias para uma situação de emergência e nem tão pouco tinha recebido a aprovação requerida.

im113

Fonte:https://www.google.com.br/search?q=explosao+reator+4+chernobyl&rlz=1C1RLNS_pt

CONSEQUÊNCIA DOS ACIDENTES 

O acidente nuclear levou a um incêndio subsequente. O fogo aumentou os efeitos da dispersão de materiais radioativos e a energia calor armazenado no grafite ainda deu maior magnitude ao próprio fogo e dispersão atmosférica.

Produtos radioativos foram divulgados especialmente perigoso iodo-131 (cuja semi vida é de 8,04 dias) e césio-137 (com uma semi vida de 30 anos), dos quais cerca de metade eles deixaram a quantidade contida no reator nuclear. Além disso estimou-se que em todo o gás xênon foi descarregado para fora do reator. Estes produtos foram depositados de forma desigual dependendo de sua volatividade e chuva durante os dias.

Mais pesados que eles encontraram dentro de um raio de 110km, e quanto mais volátil alcançado grande distância. Assim, além do impacto imediato na Ucrânia e na Bielorrússia atingiu áreas de contaminação radioativa na parte europeia da antiga união soviética e os EUA e Japão.

Consequências imediatas do acidente na saúde da população foram:

  • 237 Pessoas apresentaram sintomas de síndrome da reação aguda (AIS), confirmado o diagnostico em 137 casos. 31 pessoas morreram no acidente, das quais, 28 (bombeiros e operadores) foram vítimas de altas doses de radioatividade e 3 de outras causas. Após a fase aguda mais 14 pessoas morreram nos 10 anos seguintes ao acidente;
  • Entre 600 e 800 pessoas (trabalhadores qualificados, voluntários, bombeiros, militares e outros) chamados liquidatários carregados com as tarefas de controle e limpeza, morreram em diferentes períodos;
  • 16.000 Moradores foram evacuados vários dias após o acidente como uma proteção contra níveis elevados de radioatividade, que cria uma zona de exclusão nas áreas mais contaminadas dentro de um raio de 30km ao redor das instalações;
  • 565 Casos de câncer de tireoide em crianças principalmente com idade de 0 e 14 anos e alguns adultos que vivem em áreas mais contaminadas (Ucrânia, Belarus e na federação russa) de que, 10 casos a relevar fatal devido a radiação;
  • Outros tipos de câncer, incluindo leucemia, houve desvios estaticamente significativos da incidência de esperar em condições normais.

Efeitos psicossociais de causas não relacionadas a radiação devida a falta de informações, a evacuação de afetados e medo de efeitos biológicos da radiação a longo prazo. Estes efeitos foram devidos a reação chocada das autoridades nacionais para o acidente nuclear de Chernobyl, quanto a extensão, duração e poluição por longas distancias. Como procedimentos de emergências eram inexistentes, pouca informação foi disponível, notando-se a desconfiança e a pressão da opinião publica para a ação a ser tomada, mas a decisão oficial não teve em conta os efeitos psicológico da população a realização de má interpretação de recomendações da Comissão Internacional de Proteção Radiológica (ICRP) para níveis de intervenção dos alimentos. Tudo isso foi traduzido para um número de perturbações a saúde, tais como: ansiedade, depressão e vários efeitos psicossomáticos.

MEDIDAS PARA EVITAR A PROPAGAÇÃO DA RADIAÇÃO

 Durante 7 meses seguidos ao acidente os destroços do acidente nuclear reator 4 foram enterrados pelos liquidatários, através da construção de um sarcófago; 300.000 toneladas de concreto e estruturas metálica para evitar a propagação de produtos de fissão nuclear. Em princípio este sarcófago era uma solução temporária e deve estar sob rigoroso controle por causa de sua instabilidade ao longo prazo, porque um colapso pode ocorrer.

im114

Fonte:https://www.google.com.br/search?q=fotos+del+sarcofago+de+chernobyl&rlz=1C1RLNS_pt-

ANOS APÓS O ACIDENTE

 

O dia 29 de dezembro de 2016, ficou marcado na história como o encerramento daquele que foi o primeiro capitulo de um filme de horror- O acidente nuclear de Chernobyl.

Foi encerrado o ultimo painel do novo sarcófago que cobre o reator n°4.

“30 anos depois do acidente, a dor e o preço a pagar ainda estão presentes, mas o processo de cura já percorreu um longo caminho. O movimento das duas metades do arco que se fecham sobre o reator e como a sutura de uma ferida, uma ferida nuclear que é de todos nós”

Hans Blix, inspetor de armas atómicas da ONU ( 29/11/2016).

im115

Fonte:http://pt.euronews.com/2016/11/29/ucrania-reactor-4-de-chernobyl-ja-tem-novo-sarcofago

A região de Chernobyl nunca foi totalmente evacuada as regras de exclusão varia de acordo com os níveis de radiação. A usina, fechada no ano de 2.000 não tem residentes oficiais. Trabalhadores envolvidos na desativação da usina e na descontaminação da área tem permissão para morar na cidade de Chernobyl, a uma distância de 15km da usina, mais ainda assim a um limite para o número de semanas consecutivas que podem passar no local.

Sem pessoas, a floresta vizinha gradativamente invadiu as ruas e os espaços entre os edifícios. Os únicos moradores agora são animais selvagens, cujo os números cresceram dramaticamente. Observadores falam do retorno de espécie que eram consideram extintas.

CURIOSIDADES SOBRE CHERNOBYL:

 

  • O acidente foi lançado pelo menos 100 vezes mais radiação do que as bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki;
  • As mulheres grávidas que estavam na região do acidente foram orientadas a realizarem abortos, para que seus filhos não nascessem com graves problemas de má formação;
  • Segundo as autoridades só estará livre da radiação depois de 100 anos, contando desde o dia da explosão;
  • Por causa do vazamento de radiação uma floresta que ficava próximo a usina ganhou uma cor gengibre brilhante, e foi nomeada como “floresta vermelha”;
  • A usina de Chernobyl, se tornou um dos santuários da vida selvagem mais exclusiva do mundo, com muitos veados, castores, lobos, águias e outros animais.

CONCLUSÃO

                   O acidente de Chernobyl, em 26 de abril de 1986 na central eléctrica da Usina Nuclear de Chernobyl, foi causado por imprudência, falta de logística e infração as regras de proteção, sabendo que não era seguro continuar com os testes de tubos geradores, levou a efeito intencionalmente a realização de um teste de redução de potência que resultou no desastre (em particular, as bombas de água) no caso de perda do suprimento externo de energia. A gerência da instalação era composta em grande parte de pessoal não qualificado, o reator ficou descontrolado e houve uma explosão violenta e um incêndio, lançando grandes quantidades de partículas radioativas na atmosfera, que se espalhou por boa parte da União Soviética e da Europa ocidental.  É difícil dizer com precisão o número de mortes causadas pelos eventos de Chernobyl, devido às mortes esperadas por câncer, que ainda não ocorreram e são difíceis de atribuir especificamente ao acidente, mas sabemos que a população local, a floresta e animais ainda sofrem com os efeitos da radiação. 

REFERÊNCIAS

Documentário: Discovery Channel-“O Desastre de Chernobyl”;

CNEN-Relatório Dr Nº134/86-2/2-Acidente de Chernobyl, causas e consequências;

Revista Euronews- pt.euronews.com/2016/11/29/ucrania-reactor4-de-chernobyl-já-tem-novo-sarcofago;

www.bcc.com/portuguese/internacional/2016/04/160426_ghernobyl_ucrania;

curiosomundo.com.br/curiosidades-sobre-o-acidente-de-chernobyl;

https://pt.energia-nuclear.net/acidente-nucleares/chernobyl;

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *