Bombardeio de Hiroshima e Nagasaki

Autores: Bianca Ortencia / Glecia Souza / Jenyyfer Suda

RESUMO

Os bombardeamentos atômicos das cidades de Hiroshima e Nagasaki foram dois bombardeios realizados pelos Estados Unidos contra o Império do Japão durante os estágios finais da Segunda Guerra mundial, Hiroshima em 6 de agosto de 1945 e Nagasaki em 9 de agosto. Foi o primeiro e único momento na história em que armas nucleares foram usadas em guerra e contra alvos civis. O alvo teria que ser maior do que 4,8 km de diâmetro e ser um alvo importante em uma grande área urbana, a explosão teria que criar dano efetivo, o alvo teria que ser um local improvável de sofrer ataques em agosto de 1945.

Hiroshima era o alvo principal da primeira missão de bombardeio nuclear, sendo Kokura e Nagasaki como alvos alternativos. O conhecimento por parte de Tóquio do que realmente tinha causado o desastre veio do anúncio público da Casa Branca, em Washington, dezesseis horas após o ataque nuclear a Hiroshima. O raio de destruição total foi de cerca de 1 quilômetro, seguido por incêndios em toda a parte norte da cidade, a 2 km ao sul do local de explosão da bomba. As explosões nucleares, a destruição das duas cidades e as centenas de milhares de mortos em poucos segundos levaram o Império do Japão à rendição incondicional em 15 de agosto de 1945, com a subsequente assinatura oficial do armistício em 2 de setembro na baía de Tóquio e o fim da II Guerra Mundial.

INTRODUÇÃO

Durante a Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos desenvolveram uma tecnologia baseada em partículas atômicas chamada de nuclear. O resultado obtido foi fruto de muitas pesquisas de alguns dos mais importantes cientistas do século XX, incluindo Albert Einstein. Quando essa tecnologia foi adaptada para fins militares, gerou uma arma capaz de promover grande destruição, a bomba atômica. Nos dias 6 e 9 de agosto de 1945, o mundo testemunhou um dos momentos mais sombrios e decisivos do século 20: A explosão das bombas nucleares sobre Hiroshima e Nagasaki, no Japão. Cerca de 130 mil pessoas, morreram depois, a bomba lançada é até hoje a arma que mais mortes provocou em pouco tempo, 221.893 mortos é o total das vítimas da bomba reconhecidas oficialmente até hoje.

A terrível herança das bombas sobre Hiroshima e Nagasaki perdura até hoje. Feridas físicas e psicológicas ainda abertas não permitem que o passado seja esquecido com facilidade pelos sobreviventes. Anos depois, com a conscientização de que a bomba havia sido por um motivo de teste, muitas pessoas começaram a se revoltar contra os Estados Unidos

im10

im11

DESENVOLVIMENTO

A Força Aérea militar dos Estados Unidos, sob ordens do presidente Harry. S. Truman, autorizou bombardear as cidades com armas de destruição em massa: as bombas atômicas. Tudo aconteceu durante os dias 6 e 9 de agosto de 1945. Segundo o governo político americano, o objetivo era impedir a invasão ao país e por fim a guerra. A bomba atômica havia sido descoberta por Albert Einstein durante o ano de 1939, e os EUA usaram a bomba para testar o poder nas pessoas e escolheram as regiões populosas do Japão.

im12

 Muitas pessoas morreram, em decorrência a exposição radioativa. Entre eles, idosos, crianças e mulheres que não queriam lutar contra a guerra. O acontecimento é considerado o maior atentado terrorista da história da humanidade.

Durante os meses seguintes, vários morreram por causa do efeito de queimaduras, envenenamento radioativo e outras lesões, que foram agravadas pelos efeitos da radiação.

im13

CONCLUSÃO

Os efeitos da bomba não são apenas a morte e a destruição imediata, até hoje por causa da radiação continuam morrendo pessoas vítimas de problemas herdados geneticamente. Pela primeira vez na história uma nação foi derrotada com o uso exclusivo de bombardeios aéreos estratégicos. Os EUA afirmam que naquele momento havia a estimativa de perder entre 500 mil e 1 milhão de militares numa possível invasão ao arquipélago nipônico, somados a um número de mortes estimado de 5 a 10 milhões de militares e civis japoneses, movidos por seu código de honra e desespero. Estes números se baseiam nas invasões das ilhas de Iwo Jima e Okinawa, onde ocorreram 12 mil mortes entre os americanos contra 120 mil mortos japoneses. O papel dos bombardeamentos na rendição do Japão e a justificativa ética dos Estados Unidos para executar tal ataque tem sido objeto de debate acadêmico e popular há décadas.

IM14

REFERÊNCIAS

http://historiadomundo.uol.com.br/idade-contemporanea/hiroshima-e-nagasaki-bombas-e-terror.htm

https://www.terra.com.br/noticias/educacao/bomba-nuclear-de-hiroshima-a-historia-da-explosao-da-bomba-atomica,61d5729779f315e35dd34667bb4f91e6pqn8RCRD.html

Um comentário em “Bombardeio de Hiroshima e Nagasaki

  • 30/05/2017 em 20:32
    Permalink

    Todas as matérias enviadas foram aproveitadas e útil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *